Blog do Prisco
Coluna do dia

Euforia inexplicável

Há uma euforia incontida entre alguns setores da magistratura nacional, entre políticos e empresários investigados ou condenados a partir da Lava Jato.

Sobretudo depois de o ministro Alexandre Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ter decidido requisitar todos os supostos dados que teriam sido roubados dos celulares de Sérgio Moro, procuradores da República e mais de 1 mil telefones de personalidades de todas as áreas do país.

O magistrado é o mesmo que lá em março determinou a instauração de inquérito para verificar fake news, críticas e ataques ao Supremo. Um absurdo total, completo. Não cabe ao STF abrir inquérito sobre o que quer que seja; e muito menos atuar como órgão de censura. Não satisfeito, Moraes quer o material dos quatro criminosos que estão presos.

Oba-oba

Neste contexto nasceu a euforia citada no começo do texto. Excitação que decorre da reação do STF e como se isso fosse definitivamente inocentar figuras condenadas por corrupção e toda sorte de maus-feitos com dinheiro público. Parece que tem gente achando que agora todo mundo será solto, que as sentenças serão anuladas e por aí vai

Como assim?

Mas o que é isso? Que euforia é essa? Se erros foram cometidos no âmbito da Lava Jato, que magistrados, procuradores e delegados sejam responsabilizados. Ponto. Isso, de maneira alguma, deve servir de pretexto para engatar a marcha à ré no combate à corrupção neste país.

Asfalto vai roncar

A seguir nessa toada, a sociedade, que respalda a Lava Jato e o minucioso trabalho para desbaratar e punir participantes de esquemas criminosos, alguns que roubaram a nação por décadas, voltará ao asfalto. Contra o STF.

Alerta

Vice-presidente da República, General Hamilton Mourão, deu uma declaração forte. Sinalizou ao Supremo para que os magistrados cumpram suas responsabilidades. As Forças Armadas estão atentas. Não foi conveniente, mas ocorreu porque o cinismo de alguns magistrados ultrapassou todos os limites. O general mandou o recado.

Mais rigor

O governador Carlos Moisés sancionou no último dia 31 de julho a Lei 17.760, que torna mais abrangentes as punições relacionadas a irregularidades praticadas na comercialização de combustíveis no estado.

Autoria

A normativa, de iniciativa do deputado Fernando Krelling (MDB), tem como alvo  a chamada ‘bomba baixa’, prática na qual, por meio da adulteração nas bombas, o consumidor recebe menos combustível do que o registrado.

De novo

Governadores terão nova reunião para tratar da Reforma da Previdência nesta terça, em Brasília. Para incluir estados e municípios nas mudanças, as tratativas ocorrem no Senado. Já a Câmara votará novamente o texto aprovado em primeiro turno antes do recesso. Mas ali não se permite mais mudanças dessa envergadura. A solução para os entes federados municipais e estaduais é a apresentação de uma PEC específica na Câmara Alta.

Montante

Em 2018, foram apreendidos R$ 451 milhões. Em 2019, esse valor já passa dos R$ 548 milhões. Estes valores foram divulgados pela Polícia Federal e se referem a apreensões de recursos provenientes do crime organizado e da lavagem de dinheiro do tráfico de drogas. O ministro Sérgio Moro gostou. Escalou o Twitter para cumprimentar a PF.

Posts relacionados

Lista com seis catarinenses

Autor

Reforma urgente

Autor

Agenda de candidato

Autor