Blog do Prisco
Manchete Notícias Últimas

Evento reúne donos de postos de combustíveis do estado para discutir decisão do governo de cobrar mais ICMS dos postos

Presidente da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes estará presente no evento dia 17

A decisão do Governo de Santa Catarina, por meio da Secretaria de Fazenda de cobrar a diferença do ICMS entre o preço de pauta (PMPF – Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final – valor para a base de cálculo do ICMS do estado) e o preço de bomba, anunciada no começo deste ano será discutida em um encontro marcado para o dia 17 deste mês, em Florianópolis.

A iniciativa é das entidades patronais do Estado, (Sindipetro, Sindópolis, Sincombustíveis e SINPEB) atendendo a um pedido de diversos revendedores que esperam um posicionamento das entidades representativas. O evento vai trazer para Santa Catarina o Presidente da Fecombustíveis – Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes, Doutor Paulo Miranda Soares e autoridades em Direito Tributário e Econômico, os advogados Arthur Vilamil Martins e Felipe Millard Gerken.

O posicionamento do Governo do Estado surpreendeu o setor, já que SC quer tributar e recolher aos cofres públicos um valor (chamado de ICMS-ST complementação) sobre a margem de lucro dos revendedores, um valor que não está provisionado nas planilhas de custos dos postos . Esta cobrança, de acordo com o governo, será retroativa a janeiro de 2019.

Um levantamento feito com dados da ANP mostra que a cobrança do ICMS complementação nestes primeiros meses de 2022 está estimada em mais de R$ 100 milhões. Uma conta que não é de revendedor, já que os impostos já foram pagos e estão embutidos no valor do combustível. Ao contrário do que muitos pensam o revendedor é um mero repassador de impostos e esta decisão do governo estadual pode impactar no bolso do consumidor final.

Para encontrar alternativas e impedir a cobrança de mais esse imposto, as entidades representativas do setor esperam reunir na capital mais de 1000 postos de combustíveis. Durante o encontro, será realizada uma assembleia geral extraordinária para deliberar sobre o tema. O receio das entidades é o prejuízo que a decisão do governo pode gerar ao setor, já que a maioria dos proprietários de postos não têm condições financeiras de arcar com os pagamentos (já que a margem de lucro é usada para pagar despesas como folha de pagamento, manutenção das instalações, aluguel, etc). Outro receio é o fechamento de postos de combustíveis refletindo na geração de emprego e renda.

Evento: O estado quer cobrar uma conta que não é sua
Data: 17/03/2022
Horário: 13h30
Local: Auditório do Majestic Palace Hotel – Centro Florianópolis

Lideranças do setor de combustíveis serão recebidos pela Comissão de Finanças da Alesc

A reunião com os presidentes e assessores jurídicos dos sindicatos patronais do Comércio Varejista de Combustíveis do Estado com a presidência da Alesc e a Comissão de Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa está marcada para esta quarta-feira (16), às 11h. O objetivo do encontro é explicar aos parlamentares as dificuldades que o setor enfrenta hoje nas tratativas de demandas junto ao executivo do Governo de Santa Catarina.

Uma das pautas do encontro desta quarta é a intenção da cobrança do ICMS complementação por parte do Governo do Estado, calculado sobre a diferença do preço de pauta, com o preço de bomba desde de janeiro de 2019. Além da cobrança do ICMS complementação, as lideranças do setor vão apresentar outros pleitos aos deputados, na tentativa de sensibilizar o legislativo para um problema que impacta não só a cadeia de postos, podendo afetar também os consumidores.

ALGUNS DADOS COMPLEMENTARES:

· SC possui 1.938 postos de combustíveis em operação (dados da ANP/Agência Nacional do Petróleo);

· Estima-se que a revenda de combustíveis catarinense empregue mais de 25 mil pessoas (dados do setor);
· Em 2020 os postos de SC revenderam mais de 220 milhões de litros de gasolina/mês. Em 2022, este número está estimado em 235 milhões de litros mês (dados da ANP)
· SC revende mais de 215 milhões de litros de óleo diesel/mês e 60% deste volume é fornecido pelos postos de combustíveis (dados da ANP).
· O varejo de combustíveis catarinense arrecada em favor do Estado, aproximadamente, R$400 milhões de ICMS por mês;
· Setor é responsável por mais de 20% da arrecadação de ICMS do Estado.

· Em 2021 essa arrecadação foi recorde. SC arrecadou quase R$5 bilhões de ICMS dos combustíveis.

foto>GMF, arquivo, divulgação