Blog do Prisco
Destaques

Governador Jorginho Mello anuncia antecipação de metade do 13º salário dos servidores públicos

Pagamento ocorre em 14 de julho e coloca R$ 640 milhões extras na economia de SC

O governador Jorginho Mello anunciou nesta segunda-feira (26) a antecipação de metade do 13º salário de 2023 para os servidores públicos de Santa Catarina. O depósito de 50% do valor será realizado em 14 de julho, colocando R$ 640 milhões extras na economia de Santa Catarina. Somando o valor aos pagamentos realizados em junho e julho, serão R$ 2,7 bilhões em um intervalo de pouco mais de 30 dias. A segunda parcela será paga no mês de dezembro, em data a definir.

“Com vontade e uma política voltada para as pessoas, estamos superando as dificuldades e mostrando que é possível fazer diferente. As medidas que adotamos para equilibrar as contas garantiram que agora a gente possa prestigiar os servidores estaduais e antecipar a metade do 13º salário, um dinheiro extra que certamente será muito bem-vindo para mais de 172 mil famílias catarinenses e também para a nossa economia”, disse o governador.

 

Segundo os cálculos da Secretaria de Estado da Fazenda, com o pagamento do salário de junho no dia 30/06 (R$ 1,07 bi), a antecipação da primeira parcela do 13º salário no dia 14/07 (R$ 640 milhões) e o salário de julho pago em 31/07 (R$ 1,08 bi), o Governo do Estado vai colocar na economia R$ 2,7 bilhões em praticamente 30 dias. Os valores contemplam os servidores ativos e inativos do Poder Executivo – incluindo as fundações e autarquias estaduais – e pensionistas pagos pelo IPREV, num total de 171.535 funcionários públicos. Não entram na conta as folhas de pagamento das empresas estatais: Casan, Celesc e Badesc.

O secretário Cleverson Siewert explica que a antecipação do 13º salário é resultado da gestão criteriosa dos recursos públicos e da implementação das primeiras medidas do Plano de Ajuste Fiscal de Santa Catarina, o Pafisc. “Apesar das dificuldades enfrentadas nos primeiro trimestre do ano, estamos conseguindo equilibrar as contas, mantendo a equação entre receitas e despesas sob controle. Com o controle e as projeções de melhora do cenário macroeconômico, podemos realizar investimentos e também antecipar metade do 13º salário para o funcionalismo, o que na prática movimenta a economia e indiretamente reflete no caixa estadual”, avalia o secretário.

Posts relacionados

Servidores da Defensoria se manifestam contra assédio moral

Redação

Vereador Achutti protocola projeto que extingue o salário do vice-prefeito

Redação

Câmara aprova Reforma da Previdência Municipal 

Redação