Blog do Prisco
Manchete

Hospitais catarinenses recebem recursos da Prova de Residência Médica da ACM

Em meio à crise da saúde e nos anos em que Santa Catarina tem enfrentado os desafios da pandemia, a entidade médica já repassou quase R$ 5 milhões aos Programas de Residências e aos Centros de Estudos de unidades hospitalares em todo estado, ajudando na assistência dos catarinenses

Como resultado da Prova ACM de Residência Médica (edição 2021), a Associação Catarinense de Medicina repassou R$ 1,2 milhão neste ano aos 39 hospitais, fundações hospitalares e Secretarias Municipais de Saúde, incluindo os 15 hospitais vinculados à Secretaria de Estado da Saúde que se utilizam do exame para a seleção dos seus programas de especialidades medicas. Nos últimos três anos, enquanto Santa Catarina enfrenta uma forte crise e a pandemia de Covid-19 (2020 a 2022), cerca de R$ 5 milhões já foram distribuídos aos Programas de Residência e Centros de Estudos dessas instituições, auxiliando a vencer os desafios causados pelo coronavírus e seus reflexos nos serviços de saúde.

O presidente da ACM, médico Ademar José de Oliveira Paes Junior, informa que a prova acontece anualmente nas cidades de Florianópolis, Joinville, Chapecó, Lages e Criciúma, envolvendo também as provas de Residência Multiprofissional em Saúde – com vagas em educação física, enfermagem, nutrição, psicologia, serviço social, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia e odontologia, na capital e em Joinville. “No último exame, realizado em novembro de 2021, cerca de 8 mil inscrições foram feitas para os dois processos seletivos no estado, que disponibilizam vagas em instituições públicas e privadas, demonstrando a sua importância na formação dos médicos, refletindo na qualidade da assistência aos catarinenses”.

A Prova ACM é promovida em parceria com as Associações Médicas do Rio Grande do Sul (AMRIGS) e do Mato Grosso do Sul (AMMS), com o apoio da Associação Médica Brasileira (AMB). Hoje, é um dos mais importantes exames no país, seja com acesso direto do médico (primeira especialização) ou com pré-requisitos (com pelo menos uma especialidade já concluída). O exame é realizado desde 2013 e possibilita que o candidato participe da seleção nos três estados.