Blog do Prisco
Image default
Manchete

Nova força surgindo

Ex-deputado federal Paulo Bornhausen avalia seriamente a possibilidade de deixar o PSB. Nacionalmente, o partido segue alinhado ao PT, com quem sempre esteve. Bornhausen, deputados e lideranças estão analisando qual seria o melhor caminho em Santa Catarina.

Endereço preferencial projetado pelos pessebistas catarinenses: o Podemos. Fundado pelo senador paranaense Alvaro Dias, a legenda tem uma linha de direita e de frontal oposição ao esquerdismo que reinou no Brasil até 2018.

Sem sombra de dúvidas, o Podemos seria um endereço bem mais confortável a Bornhausen e companhia. Evidentemente que Paulo Bornausen não irá sozinho para qualquer partido. Ao Podemos ou qualquer outra sigla,  ele estuda levar os prefeitos de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, e de Palhoça, Camilo Martins. E, quem sabe, o de Blumenau, Mário Hildebrandt. Além, é claro, dos três deputados estaduais do PSB: Bruno Oliveira, Laércio Schuster e Nazareno Martins, este último pai do alcaide palhocense.

Batendo asas

Nessa mesma toada, de mudança partidária, pode estar o ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes; e o deputado federal mais votado do MDB, Carlos Chiodini.

Os dois estão com um pé e meio fora de seus partidos. Um e outro se apresentaram como candidatos a presidente do PSDB e do MDB, respectivamente. Ao que tudo indica, contudo, o senador Jorginho Mello vai tomar conta do ninho, indicando o suplente Beto Martins para comandar o partido.

Mais do mesmo

A seu turno, Chiodini vê a cada dia mais distante a tal renovação no MDB. Caso o partido fique mesmo na mão de outro senador, Dário Berger, Chiodini, seu grupo e outros emedebistas tem tudo para migrar.

PSD

O contexto é de mudanças partidárias. O ex-governador Raimundo Colombo assumiu a fundação nacional de estudos do PSD. Movimenta-se, também, para assumir o controle da seção Barriga-Verde do partido. O quadro favoreceria a ida de Gelson Merisio, atual presidente do PSD-SC, a outra sigla. Qual? A conferir, tudo ainda está no campo das especulações. Mas o fato é que novos e antigos políticos vão se acotovelando. Certo mesmo é que é o tabuleiro estadual vai mudar significativamente.

No PP

Importante observar que todas essas avalições estão no campo das especulações. Inclusive a que dá conta de que Gelson Merisio poderia assinar ficha no PP, deixando a escudeira Marlene Fengler no PSD.

Sumiço

Noves fora todas as especulações, o PSB deve sumir em Santa Catarina. Por aqui, o alinhamento com a esquerda é quase como uma praga!

Vai entender

Outro líder político que faz movimentos estranhos, a exemplo de Napoleão Bernardes, é o prefeito da Capital, Gean Loureiro. Um emedebista, prefeito de Florianópolis, confraternizando com pessedistas, pepistas e por aí vai! A turma ainda está tentando entender a presença de Gean no aniversário de Gelson Merisio, no dia 31 de janeiro. A sensação que fica é que está todo mundo atirando para todo lado. Porque como está, não vai ficar.

Espaço

Moisés da Silva disse, na campanha, que não buscaria a reeleição. A julgar pelos seus movimentos antipolíticos até agora, pode-se afirmar que ele está cumprindo a promessa. Significa que em 2022 a roda vai girar no Executivo estadual. Quem se habilita?

Posts relacionados

Ex-governador do Paraná é preso pela terceira vez

Fabian Oliveira

Menos Brasília

Fabian Oliveira

Em nota, deputado federal critica rumos do PSB

Fabian Oliveira