Blog do Prisco
Notícias

Posicionamento da ACATE sobre o atual cenário político e econômico brasileiro

O atual contexto político e econômico brasileiro tem demandado de nós, empresários – mas, acima de tudo, cidadãos – profundas reflexões. Sempre defendemos enquanto entidade a bandeira da inovação e da tecnologia, de forma apartidária, apoiando e defendendo os interesses dos nossos associados e da comunidade em âmbitos municipais, estadual e federal. Apesar de enxergarmos as oportunidades que os momentos de crise econômica trazem, quando a inovação torna-se um caminho obrigatório, chegamos no limite. Mais do que o colapso econômico, o Brasil está acometido por uma crise política que exige de nós, enquanto entidade de classe, uma postura mais crítica e combativa para que nossos representantes, sobretudo no âmbito federal, possam propor mudanças drásticas que alterem o rumo dos acontecimentos. Se nossos atuais mandatários não são capazes de mudar este cenário, que se resignem e abram espaço para um pensamento e, sobretudo, ações diferentes, respaldados por princípios éticos e morais – características hoje distantes, ou, até, inexistentes na maioria dos que estão no poder.São por estes motivos que a Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE) convoca, de forma inédita e particular, seus associados para que se unam aos diversos movimentos empresariais deflagrados ao longo dos últimos meses e intensificados nas últimas semanas. Nós, empreendedores de um setor econômico que tanto atrai riquezas, empregos de alto nível, promove inovação para todos os demais segmentos, precisamos nos mobilizar e defender o Brasil como nação soberana e democrática. No próximo domingo, 13 de março, seremos parte do movimento popular que repudia a forma como o País está sendo conduzido pelos atuais mandatários. Nosso lema para essa mobilização histórica já está definido: + ética – menos burocracia = inovar para crescer. Esta é a fórmula que a ACATE vai compartilhar e estampar em camisetas durante a manifestação. Que novas práticas de gestão e cuidado com a coisa pública possam emergir dos atuais ou de novos mandatários, para que o setor público possa aferir e seguir as boas práticas de eficiência operacional e administrativa tão exigidas, por questões simples de sobrevivência e perpetuidade, no mercado privado. Por estes e tantos outros motivos já postos pelas diversas entidades que a ACATE reforça o pedido para que seus associados e toda a comunidade de tecnologia, inclusive os trabalhadores do setor, se unam nestes dias de intensa mobilização por uma nova forma de conduzir nosso país, nossos Estados e municípios.

Diretoria ACATE