Blog do Prisco
Notícias

Primeira lista do petrolão atinge em cheio o PP e o Congresso

Finalmente divulgada, a lista de 47 políticos que serão investigados na esteira da Operação Lava Jato, a pedido do procurador geral da República, Rodrigo Janot, coloca sob forte suspeição 32 “personalidades” alistadas nas fileiras do Partido Progressista, o PP.
A esmagadora maioria dos “progressistas” listados é do Rio Grande do Sul e do Paraná, mas Santa Catarina também deu sua contribuição com a inclusão do notório ex-deputado federal João Alberto Pizzolatti Filho, cobrindo toda a região Sul do país, que já há anos é o principal reduto da legenda. De qualquer forma, a “contribuição” catarinense ao escândalo é modesta se comparada com os Estados vizinhos.
Evidentemente que, partindo da lista de investigados, o caminho para se chegar à condenação ou prisão de políticos, empresários e operadores, é longo. Muito longo. Já se projeta, inclusive, que o petrolão vai levar muito mais tempo para “transitar em julgado” do que o mensalão. Enquanto este ficou restrito ao Supremo Tribunal Federal, no escândalo do momento haverá processos no próprio STF, no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e até na primeira instância do Judiciário.

Mas a inclusão de tanta gente de uma mesma legenda sob a sombra de desconfiança de ter drenado muito dinheiro público via dutos da Petrobras, pode deixar sequelas irreparáveiss no PP. Inclusive em Santa Catarina, considerando o pleito municipal de 2016.

APENAS A PRIMEIRA LISTA
Mas e os outros partidos? A expectativa em Brasília e nos meios políticos e jurídicos é a de que os nomes divulgados ontem integrem apenas a primeira de uma série de listas de suspeitos de grossa corrupção. E mesmo assim, ela já engolfou políticos de PMDB, PT, PSDB, PSB e PTB. Este representado pelo ex-presidente Fernando Collor de Mello!
O PP estrelou a estreia das listas porque ela se baseou na delação premiada do doleiro Alberto Yousseff, operador do partido. Faltam ainda os nomes entregues pelos operadores de outras legendas, como PT e PMDB.

stf congresso

Posts relacionados

Deputados e prefeitos do PSD afinam atuação para outubro

Autor

Coronel Araújo Gomes fala sobre crime organizado durante painel na UFSC

Autor

Paulo Afonso na berlinda após reação do PMDB

Autor