Blog do Prisco
Coluna do dia

Reforma da Previdência

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, transformou-se numa espécie de primeiro-ministro do governo Michel Temer. Composição que conta, ainda, com Henrique Meirelles como coringa administrativo-eleitoral. Administrativo porque conduz a economia e mantém os mercados pacificados. Eleitoral porque pode chegar em março como presidenciável.

Para tanto, Temer fortaleceu Maia no vácuo deixado pelo racha no PSDB. O presidente da Câmara tem o poder de pautar e  mobilizar os deputados para votações importantes. A ordem do dia do triunvirato governista é a Reforma da Previdência. Mesmo que enxuta em comparação à ideia original, as mudanças previdenciárias serão a senha para a nata do empresariado abraçar Meirelles, o que pode torná-lo uma opção viável.

Na outra ponta, Rodrigo Maia tenta fortalecer as pretensões do pai no Rio de Janeiro. Cesar Maia se ensaia para disputar o governo. O próprio Rodrigo vai encaminhando a possibilidade de renovar o  mandato na presidência da Câmara. E Michel Temer segue se segurando no Planalto.

 

Ensaio

De olho na recuperação, ainda tímida, do emprego e de outros indicadores econômicos, Michel Temer já sinaliza que pode tentar a reeleição se Meirelles não emplacar. O presidente também está mandando recado aos aliados e aos próprios nomes que podem assinar no partido para encarnar o presidenciável: João Doria e Rodrigo Maia.

 

Turismo e eleições

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSB), e o secretário de Estado do Turismo, Cultura e Esporte, deputado Leonel Pavan, se encontraram reservado em um hotel da Capital nesta terça-feira. Trocaram impressões sobre o movimentado cenário político com vistas a 2018 e falaram também sobre Turismo, devido à proximidade da temporada de Verão. Chapecó não tem turismo de veraneio, mas registra forte crescimento na área de eventos.

 

Cara de paisagem

Muita gente, principalmente deputados do Oeste, fez cara de paisagem durante a concorrida solenidade de entrega da Comenda do Legislativo Catarinense a 40 pessoas e entidades na segunda-feira à noite. A Alesc ficou lotada, inclusive o hall de entrada.

 

Conexão litoral

Mas o que chamou a atenção mesmo foi o fato de um deputado do litoral, Leonel Pavan, três vezes prefeito de Balneário Camboriú, onde construiu toda a carreira, chegando a govenrador-tampão, ter homenageado a Chapecoense! A homenagem, claro, é mais do que merecida. Só causou estranheza o fato de nenhum deputado de Chapecó ou da região ter tomado a iniciativa!

 

Agilidade

O senador Paulo Bauer (PSDB) apresentou o projeto de lei que passa aos condenados a obrigação de custear o uso de tornozeleiras eletrônicas em outubro de 2016. Em março de 2017, o texto passou a ser relatado pela senadora Simone Tebet (PMDB-MS) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Aprovado em setembro, foi enviado à Câmara dos Deputados. Pode não parecer, mas a tramitação até que foi rápida.

 

Demora

O problema agora é o andamento entre os deputados. O texto, que passou a ser chamado PL 8806/2017, aguarda desde o dia 23 de outubro a definição de um relator na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara. O deputado federal Pauderney Avelino (DEM-AM) até já pediu a relatoria, mas Covatti Filho (PP-RS), que preside a comissão, ainda não definiu. A economia prevista aos cofres públicos caso a iniciativa do catarinense vire lei é de R$ 24 milhões por ano.

Posts relacionados

Pesquisa sobre impeachment

Autor

Colombo fechado com Merisio

Autor

A bizarra visita de Temer

Autor