Notícias

Senado aprova indicação de lactose em rótulos

Os consumidores que têm intolerância à lactose terão uma ferramenta a mais para sua proteção. O Senado aprovou nesta quarta-feira o projeto (PLS 260 de 2013) de autoria do senador Paulo Bauer (PSDB/SC) que obriga a indicação dos percentuais de lactose nos rótulos de produtos que contiverem esta substância. O relatório do senador Dalírio Beber (PSDB/SC), aprovado em votação simbólica pela Comissão de Assuntos Sociais, rejeitou o substitutivo que havia sido aprovado pela Câmara dos Deputados e restabeleceu o texto original aprovado pelo Senado.

A proposta do senador Bauer altera o Decreto-Lei número 986 de 1969 obrigando que todos os produtos que tenham lactose, indiquem o teor deste produto em seus rótulos. Dessa forma, não será mais suficiente que haja a indicação da existência da substância na composição dos produtos, mas os valores percentuais, mesmo quando apenas residuais. A proposta ainda estabelece que as referências deverão ser feitas de forma legível, para facilitar a vida dos consumidores.

Bauer explica que a importância de se ter as indicações percentuais exatas está no fato de que a intensidade dos efeitos da intolerância depende das quantidades ingeridas e varia de pessoa para pessoa.

“A literatura médica esclarece essa questão da proporcionalidade. Enquanto a grande maioria das pessoas afetadas pode conviver com a ingestão de até um copo de leite por dia, outras têm sintomas desencadeados por quantidades menores”, destaca o parlamentar catarinense.

O tucano acrescenta ainda que a proposta tem o objetivo de contribuir para melhorar o nível de saúde das pessoas afetadas por essa intolerância, garantindo melhor qualidade de vida, além de um direito fundamental: o da informação sobre consumo. A indicação de percentuais de lactose vai possibilitar, segundo Bauer, que os consumidores possam balancear o consumo da substância sem prejudicar as necessidades diárias de ingestão de cálcio e vitamina D.

“O conhecimento do teor de lactose presente nos alimentos, portanto, é uma condição essencial para essas pessoas administrarem seu consumo diário de leite e derivados e, assim, para a manutenção de uma ingestão adequada de cálcio e de vitamina D”,completa o parlamentar.

Avanço – Intolerante à lactose, a empresária Jéssica Duarte, da cidade de Rio do Sul (SC), descobriu o problema há quatro anos. Desde então, enfrenta dificuldades com os rótulos dos alimentos para saber se há lactose nas composições e quais os percentuais de presença. Ela afirma que a maioria das pessoas que é intolerante à lactose é cercada por dúvidas sobre o que pode comer ou não devido à falta de informação, sobretudo quando o problema é recém descoberto. “(Com a nova lei) Vai facilmente identificar no rótulo sem precisar recorrer às letras miúdas. É um avanço bem grande para facilitar a vida dessas pessoas”, comemora.

O projeto que obriga a indicação do teor de lactose nos produtos aguarda agora o prazo de dois dias úteis antes de ser enviado à sanção do presidente Michel Temer. Durante este período os senadores poderão apresentar recurso para que o projeto seja votado também em Plenário. O requerimento para esta finalidade precisa da assinatura de pelo menos nove senadores.

Foto>arquivo, divulgação