Blog do Prisco
Destaques

Xô, CPMF!

Conselho das Federações Empresariais de SC (COFEM) repudia a intenção do governo federal de elevar a carga tributária

Com o título “manifesto contra o aumento da carga tributária”, o Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (COFEM) lança nesta sexta-feira novo posicionamento em que repudia a intenção do governo federal de instituir a Contribuição Social para a Saúde (CSS), nos moldes da extinta Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF).

“Enquanto o País vive uma situação de extrema gravidade, com elevados índices de desemprego, inflação alta, economia estagnada e crise política e ética sem precedentes, o bom senso exige que se afaste qualquer medida que prejudique, ainda mais, o setor produtivo e a classe trabalhadora”, diz o texto do documento, assinado pelos presidentes das Federações da indústria (FIESC), da agricultura (FAESC), dos transportes (FETRANCESC), do comércio (FECOMÉRCIO), das associações empresariais (FACISC), dos lojistas (FCDL) e das micro e pequenas empresas (FAMPESC).

manifesto confem

No manifesto, as entidades do setor produtivo catarinense alertam que neste cenário é imprescindível que o governo federal assuma sua responsabilidade de promover as reformas necessárias para a retomada do crescimento econômico e dos empregos e atue na direção da criação de um ambiente favorável à estabilidade social. Também defendem “a redução dos custos exorbitantes de manutenção da estrutura administrativa e da burocracia anacrônica e ineficiente, que contribuem para o agravamento da atual crise”. “Queremos um País novo, com menor carga tributária e mais desenvolvimento”, diz o manifesto. Ao longo de 2015 as entidades manifestaram-se em diversas oportunidades, inclusive com campanha estadual e mobilizando a sociedade nas redes sociais, contra a recriação da CPMF, imposto já rejeitado pelos brasileiros com veemência.A volta da CMPF aumentaria custos e tiraria ainda mais a competitividade do setor produtivo, potencializando o desemprego no País. A elevação da carga tributária, que já passa de 35% do Produto Interno Bruto (PIB), vai na contramão do mundo, que reduz juros e impostos para tornar suas economias mais competitivas.

O COFEM é integrado pela FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina); FAESC (Federação da Agricultura do Estado de Santa Catarina); FACISC (Federação das Associações Comerciais e Industriais de Santa Catarina); FAMPESC (Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas do Estado de Santa Catarina); FCDL/SC (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina); FECOMÉRCIO (Federação do Comércio do Estado de Santa Catarina) e FETRANCESC (Federação das Empresas de Transportes de Cargas do Estado de Santa Catarina).

Foto: reprodução

Posts relacionados

67,8% são contra liberdade a Dirceu, diz pesquisa

Autor

Crédito para produtores busca manter competitividade no campo

Redação

Arruaceiros tentam invadir o Planalto

Autor