Blog do Prisco
Destaques

Encontro de prefeitos do MDB-SC foca eleições de 2020

O MDB-SC deu uma demonstração de força neste sábado (30) no terceiro Encontro de Prefeitos e Vices do partido, realizado em Porto Belo. Além do presidente estadual da sigla, deputado federal Celso Maldaner, do vice Edinho Bez (ex-deputado estadual) e do ministro da Cidadania, Osmar Terra, o evento para troca de experiências municipais reuniu os ex-governadores Paulo Afonso e Eduardo Pinho Moreira, o senador Dário Berger e o deputado estadual Fernando Krelling.

A parcela expressiva dos 102 chefes de Executivo municipais e 60 vices (ou seus representantes) catarinenses reunida no Hotel Morro do Sol ouviu Maldaner lembrar que a participação de cada um será crucial para o partido atingir a meta de eleger 102 prefeitos, 90 vices e mil vereadores em 2020. O presidente garantiu que o diretório estadual não vai medir esforços para isso:

– Estamos desde julho percorrendo o Estado para agrupar e motivar a militância e analisar o cenário nos municípios. Em fevereiro, detalharemos nosso plano de trabalho, estabelecendo objetivos por região e munindo nossos candidatos com dados do que o MDB já fez em cada cidade – disse.

O senador Berger ressaltou o quanto vem atuando em Brasília para liberar recursos para as prefeituras e saudou o deputado Krelling como “futuro prefeito de Joinville”. A indicação foi endossada pelo atual mandatário do maior município de Santa Catarina, Udo Döhler, um dos painelistas do encontro. Ele mostrou situação que o pré-candidato irá herdar, apresentando as principais conquistas de seus dois mandatos.

– Dizem que a pressa é inimiga da perfeição, mas em política é o contrário. Ela é amiga, porque temos que atender as demandas da população do jeito mais rápido e eficiente possível – receitou.

O outro painelista, o anfitrião Emerson Stein, também fez uma alentada exposição de como encontrou em Porto Belo antes de assumir e o que pretende fazer nos próximos quatro anos, já que concorrerá à reeleição. O evento se encerrou com o ministro Terra confiante de que “o pior já passou” e acenando com a possibilidade de aumentar os repasses da União.

– Temos que discutir o pacto federativo, não dá mais para Estados e municípios contribuírem tanto e ficarem com a menor fatia do bolo – afirmou o ministro da Cidadania, ecoando uma bandeira que já era levantada pelo governador e senador Luiz Henrique da Silveira e hoje defendida pela bancada emedebista catarinense no Congresso.

 

Posts relacionados

Festa de 100 anos da Acif reúne mais de 1000 pessoas na Capital

Autor

Emergência no Oeste adia filiação de Buligon ao PSB

Autor

Dalirio cobra duplicação da BR-470

Autor