Blog do Prisco
Coluna do dia

Laços de amizade

Apesar de ter ascendido ao cargo máximo da República, Jair Bolsonaro parece conservar o excelente hábito de não esquecer os amigos. É por conta da amizade que mantém com o presidente que o coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, deputado Rogério Peninha Mendonça, teve facilitada a articulação de agenda da bancada federal catarinense com o próprio Bolsonaro.
Será nesta quinta-feira. Os congressistas catarinenses – 16 deputados federais e três senadores – serão recebidos no Palácio do Planalto.

Trata-se de oportunidade única para detalhar ao presidente o quadro dramático das rodovias federais que cortam o estado. E tratar de outros temas, como a Lei Kandir, que o governador Moisés da Silva quer acabar; e a guerra fiscal entre unidades federadas e o novo pacto federativo; além das reformas previdenciária (que agora está no Senado) e a tributária, que já entrou na pauta da Câmara.
Acertadamente, Peninha esperou para definir a data depois que a Reforma da Previdência saiu da Câmara com perspectivas de não sofrer alterações entre os senadores. Até então, um encontro desta importância poderia soar fisiológico, dando a entender que deputados e senadores estariam indo barganhar junto ao presidente, o que não é caso.

Núcleo duro

Cinco ministros acompanharão a audiência: Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), Onyx Lorenzoni (Casa Civil), General Augusto Heleno (GSI), General Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Jorge de Oliveira (Secretaria Geral da Presidência da República). Sinal de prestígio de Peninha, da bancada estadual e do próprio estado, que deu a maior votação proporcional do país a Jair Bolsonaro no primeiro turno em 2018.

Apoio maciço

Outro fator a dar “moral” para os congressistas estaduais junto ao Planalto. Santa Catarina foi o estado que, proporcionalmente, mais contribuiu para aprovar as mudanças na legislação previdenciária do país: 93,7% dos deputados votaram a favor da reforma, tanto no primeiro quanto no segundo turno, nos dias 10/07 e 07/08. Após a matéria tramitar no Senado, com o esperado apoio dos três representantes catarinenses, o percentual aumentará ainda mais, passando para 94,7% de apoio.

Rodovias

“Na terça-feira faremos uma reunião preparatória para elencar as prioridades. Adianto que as BRs 470, 282, 163 e 280 estarão na lista”, listou o deputado Peninha.

Proximidade

Moisés da Silva cumpre, hoje e amanhã, agenda na região do Vale do Itapocu, onde a principal cidade é Jaraguá do Sul. Mais um sinal claro da proximidade entre o governador e o deputado estadual que tem ali sua base, Vicente Caropreso. O tucano tem atuado em finíssima sintonia com o Centro Administrativo e, entre outras coisas, já anunciou R$ 6 milhões aos Bombeiros Voluntários do estado.

Liderança

Após os vazamentos de áudios do líder do governo na Alesc, Maurício Eskudlark, manifestando-se claramente contra o aumento de ICMS estabelecido por Moisés da Silva, aumentaram exponencialmente as especulações sobre a escolha de um novo líder governista no parlamento estadual. Vicente Caropreso estaria bem cotado.

Endereço
Um dos empecilhos para Caropreso assumir a liderança é o fato de estar filiado ao PSDB. Pelos corredores da Assembleia, no entanto, sua saída do partido é dada como certa. É uma questão de tempo até para não arriscar o mandato. A mesma rádio corredor indica que o representante de Jaraguá do Sul poderia assinar ficha no PL. Ou seja, viria a ser correligionário do próprio Eskudlark.

Posts relacionados

O erro de Moro e a Lava Jato

Autor

As crises de Bolsonaro

Shirlei Demetrio

Os shows dos Berger’s

Autor